03/07/2015

COORDENADOR DE FRENTE PARLAMENTAR APOIA INSTALAÇÃO DE CHIPS EM CAMINHÕES

Deputado Marcelo Squassoni (PRB/SP), entretanto, pondera que Governo precisa subsidiar custos da medida, anunciada ontem (2/7), para não onerar caminhoneiros

O Governo Federal anunciou, após reunião ministerial no final da tarde de ontem (2/7), em Brasília, a pretensão de iniciar, em setembro deste ano, o recadastramento e a instalação de chips na frota de caminhões brasileira, com o objetivo de combater o roubo de cargas. Coordenador da Frente Parlamentar Mista de Combate ao Roubo de Cargas do Congresso, o deputado federal Marcelo Squassoni (PRB) apoia a medida, desde que ela não signifique onerar ainda mais os caminhoneiros.

Para Squassoni, é de suma importância que a despesa desse sistema de monitoramento por chips não seja de responsabilidade dos caminhoneiros, pelo menos que não seja integralmente. “Quem vai arcar com isso? É bom lembrar que todo e qualquer custo adicional relativo ao frete de cargas acaba da mesma maneira: onerando ainda mais o produto final, leia-se, o consumidor. Por intermédio da Frente Parlamentar, vamos acompanhar esse processo de perto”, destaca.

O deputado recebeu com entusiasmo a notícia de que o Governo pretende criar um grupo de trabalho interministerial, coordenado pela Casa Civil, para tratar da regulamentação da Lei nº 121/2006 - que cria o Sistema Nacional de Prevenção e Combate ao Roubo de Cargas. Entre as medidas em discussão está a integração do trabalho das polícias, a exemplo do que aconteceu na Copa do Mundo. “São duas das reivindicações que fazemos por intermédio da Frente, também”, salienta.

Participaram da reunião que deliberou a respeito dos chips em caminhões os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, da Casa Civil da Presidência, Aloizio Mercadante, e dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues.

Números
Instalada no último dia 25, a Frente Parlamentar Mista de Combate ao Roubo de Cargas com apoio de 207 deputados e senadores. O grupo levantou números que apontam que esse tipo de crime só cresce no Brasil e causa prejuízos avaliados em R$ 1 bilhão ao ano, conforme a Associação Nacional dos Transportadores de Carga. São 41 novos casos registrados por dia.

Na Baixada Santista, que abriga um polo industrial e o maior porto do Hemisfério Sul, o roubo de cargas é um problema latente. Comparando-se os primeiros quadrimestres deste ano com o de dois anos atrás, o aumento das ocorrências foi de 39%, superior até à média estadual, que foi de 26% no mesmo período. “A decisão de ontem do Governo certamente trará reflexos positivos para a região nesse sentido”, finaliza Squassoni.

Mais informações:
Assessoria de Comunicação Deputado Marcelo Squassoni
Samanta Flor - (61) 3215 5550
Tadeu Ferreira Jr. - (13) 99133-8813